Amigurumi - Baphomet


Vamos fazer um Baphomet?



Já faço Baphomet's á mais ou menos 2 anos. Já o fiz em várias cores e modelos.

A primeira vez que esta encomenda chegou à mim, foi através de uma garota de um grupo de góticas da minha cidade. Então eu o fiz sem problema algum, e assim que foi entregue, ela compartilhou com suas amigas e logo foram chegando encomendas de mais e mais.

Uma delas me falou, que ele havia sido imputado aos Cavaleiros Templários pela igreja católica, como símbolo do paganismo. Isso despertou a minha curiosidade e fui pesquisar.

Confesso que relutei bastante para passar este padrão para o vídeo e para o Blog também. Mas depois de pensar, acho que assim como eu tinha um pensamento errôneo sobre o assunto, muitas também devem tê-lo.

Então decidir compartilhar o passo a passo em vídeo, e deixar aqui um breve resumo, das matérias que encontrei, os links nativos estão no fim do post.


*********************************

Sobre o nosso Amigurumi Baphomet;

Usei Fio Bella duplo, agulha 2,5, foi tecido com ponto baio cruzado.
Como disse no início, tenho vários modelos, porém este é o padrão básico e o mais pedido.

O chifre tem uma modelagem especial, porém fácil de entender, e confere à ele o seu charme.

Os esfumados também dão um toque especial, e foram feitos com giz pastel seco



Então vamos à nossa vídeo aula:



*********************************************


Wikipedia 

A figura atual de Baphomet foi criada pelo famoso ocultista Eliphas Levi, como apresentada ao lado. Levi lista as mais frequentes representações do Baphomet: na classificação e explicação das gravuras de seu livro Dogma e Ritual da Alta Magia, Eliphas Levi classifica a imagem de Baphomet como a figura panteística e mágica do absoluto.

  • O facho representa a inteligência equilibrante do ternário.
  • A cabeça de bode, reunindo caracteres de cão, touro e burro, representa a responsabilidade apenas da matéria e a expiação corporal dos pecados.
  • As mãos humanas mostram a santidade do trabalho e fazem o sinal da iniciação esotérica a indicar o antigo aforismo de Hermes Trismegisto (em uma posição muito semelhante a representações de Shiva na Índia): "o que está em cima é igual ao que está embaixo". O sinal com as mãos também vem a recomendar aos iniciados nas artes ocultas os mistérios.
Pode também ser interpretado em seu aspecto metafísico, onde pode representar o espírito divino que "ligou o Céu e a Terra", tema recorrente na literatura esotérica.

  • Os crescentes lunares presentes na figura indicam as relações entre o bem e o mal, da misericórdia e da justiça.
  • Possuindo seios, o bode representa o papel de trazer à Humanidade os sinais da maternidade e do trabalho, os quais são signos redentores.
  • O pênis é metaforicamente representado por um Caduceu. No budismo tantrico este é o símbolo de ascensão da energia da deusa Kundalini. Em forma de serpente ela está enrolada e oculta na base da coluna de todo ser humano. Ao atingir a plenitude desta força, o ser alcança o êxtase da iluminação (o nirvana). Este tipo de simbologia aparece com frequência na alquimia (o coito do rei e da rainha), com a qual o ocultismo tem relação.
  • Na frente e embaixo do facho encontra-se o signo do microcosmo a representar simbolicamente a inteligência humana.
  • Colocado abaixo do facho o símbolo faz da chama dele uma imagem da revelação divina. * Baphomet deve estar assentado ou em um cubo e tendo como estrado uma bola apenas ou uma bola e um escabelo triangular.
  • A figura pode ser colorida no ventre (verde), no semicírculo (azul) e nas penas (diversas cores).

************************************************************

Editora Madras

Segundo os cabalistas ocidentais, especialmente os franceses, os Templários foram acusados por adorar Baphomet. Jacques de Molay, Grão-Mestre da Ordem do Templo, com todos os seus irmãos, morreram por causa disso. Porém, esotérica e filosoficamente falando, tal palavra nunca significou “bode” nem qualquer outra coisa tão objetiva como um ídolo. O termo em questão quer dizer, segundo Von Hammer, “batismo” ou iniciação na sabedoria, das palavras gregas Baph e Metis, significando “Batismo de Sabedoria”, e da relação de Baphometus com Pã.

Von Hammer deve estar certo, Baphomet era um símbolo hermético-cabalístico, mas a história, tal como foi inventada pelo clero, é falsa. Pã é o deus grego da Natureza, do qual deriva a palavra Panteísmo; o deus dos pastores, caçadores, lavradores e habitantes das campinas.

Segundo Homero, é filho de Hermes e Dríope; seu nome significa “Todo”. Foi inventor da chamada flauta do deus Pã, e uma ninfa que ouvisse o som desse instrumento não resistia ao fascínio do grande Pã, apesar de sua figura grotesca. Pã tem certa relação com o bode de Mendes, no que este representa, como um talismã de grande potência oculta, a força criadora da Natureza.

Cavaleiros templários:

A história em torno do Baphomet foi intimamente relacionada com a da Ordem dos Templários, pelo Rei Filipe IV de França e com apoio do Papa Clemente V, ambos com o intuito de desmoralizar a Ordem, pois o primeiro era seu grande devedor e o segundo queria revogar o tratado que isentava os Cavaleiros Templários de pagar taxas à Igreja Católica.

A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, também conhecida como Ordem do Templo, foi fundada no ano de 1118. O objetivo dos cavaleiros templários era supostamente proteger os peregrinos em seu caminho para a Terra Santa. Eles receberam como área para sua sede o território que corresponde ao Templo de Salomão, em Jerusalém, e daí a origem do nome da Ordem.

Segundo a história, os Cavaleiros tornaram-se poderosos e ricos, mais que os soberanos da época. Segundo a lenda, eles teriam encontrado no território que receberam documentos e tesouros que os tornaram poderosos. Segundo alguns, eles ficaram com a tutela do Santo Graal dentre outros tesouros da tradição cristã.

Em 13 de outubro de 1307, sob as ordens de Felipe, o Belo e com a conivência do Papa Clemente V, os cavaleiros foram presos, torturados e condenados à fogueira, acusados de diversas heresias.

O rei francês, nessa altura, acusava os templários de adorarem o diabo na figura que na realidade se chamava Baphomet. O Baphomet tornou-se o bode expiatório da condenação da Ordem pela Igreja Católica e da morte de templários na fogueira que se seguiu a isto.


Vídeo Aula:







Leia mais sobre o assunto aqui:

4 comentários

  1. Oi,
    gostei muito da informação do Baphomet,minha dúvida é,ele não tinha uma cor especifica?
    Das cores que já fez qual ficou mais interessante?
    Obrigada por compartilhar este conteúdo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, não encontrei referencia sobre a cor, mas pelo visto na imagem acima, seria cor de pele mesmo. Eu faço de diversas cores, já fiz até verde e amarelo rissss. Neste caso foi a cliente que pediu. Vou fazer outros modelos, mais cut e verão a enorme variedade. Beiho grande.

      Excluir
  2. Sempre aprendendo,sem preconceito.Lindo trabalho, parabéns.

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário em MEU MUNDO CRAFT.

VOLTAR AO TOPO