A magia das Sunbonnet Sue

 Com certeza você conhece as encantadoras bonequinhas Sunbonnet Sue.
Te convido a viajar por este mundo encantado...

Sua origem é bem distante dos tempos atuais, e se perde ao longo do tempo.

O nome vem de: SUN = sol, BONNET = chapéu, gorro.
Segundo pesquisas, a primeira vez que o nome surgiu foi no conto "Sunbonnet Sue", de Izola Forrester, em 1901 , que foi distribuído nos anos seguintes.

O desenho típico da garota com capuz cobrindo o rosto aparece de várias formas, meninas, adolescentes, jovens, senhoras, e idosas, e os nomes variam também:
  • "Sunbonnet Babies" 
  • "Sunbonnet Girl" 
  • "Little Susie Sunbonnet"
  • "Little Susan"
  • "Colonial Lady"
  • "Dutch Girl" 
  • "Bonny Bonnet"
Ao longo do tempo, vários ilustradores apresentaram as suas versões de "Sunbonnet", traços simples, apenas silhuetas ou complexos, com pinturas detalhadas em belas artes. Às vezes mostrando parte do seu rosto ou só nariz, ou mesmo o rosto inteiro. Vestidos longos, ou semi longos, muitas vezes cobertos por aventais.
Artistas e ilustradores frequentemente atribuídos ao desenvolvimento do estilo Sunbonnet Sue, incluem:
  • Kate Greenaway 
  • Bertha L. Corbett (mais tarde, Bertha Corbett Melcher), 
  • Dorothy Dixon 
  • Bernhardt C. Wall 


Em 1876, na Feira do Centenário da Filadélfia, as bonequinhas foram introduzidas e começaram a se popularizar nos Estados Unidos.

Bertha Corbett Melcher

Bertha Corbett Melcher é creditada como criadora dos designs Sunbonnet. Ela ilustrou livros infantis Primer no início de 1900. Seu livro, "Os Bebês Sunbonnet" foi publicado em 1900. Neste livro, ela descreveu garotas com seus rostos escondidos por seus gorros.

Seu primeiro livro chamou a atenção de Eulalie Osgood Grover, escritora de cartilhas escolares da Children's. Bertha foi contratada como ilustradora das cartilhas de Grover.

A colaboração entre a Sra. Grover e Bertha Corbett durou muitos anos, através de muitos livros diferentes. Estes livros foram muito populares e lidos por crianças em idade escolar em todo o país.

Os desenhos de Bertha Corbett eram muito populares, eles podiam ser encontrados em cartões postais, porcelanas e outros itens do dia. Seus projetos têm sido um marco na fabricação de colchas desde então.

Pinturas em aquarela, de Bertha

Corbett, ilustrou e escreveu um livro "The Sun-bonnet Babies" em 1900. Os livros da série, seguindo os Bebês Sunbonnet e os Meninos Gerais os levaram a aventuras na Holanda, Itália e Suíça. Bertha passou a ser considerada a "Mãe dos Sunbonnets", tendo seus trabalhos estampados em tecidos, canecas, etc...


Muitos escritos anteriores a isto, descrevem mulheres usando os mesmos trajes de Sunbonnet, então se o crédito deve ser atribuído, talvez seja assim:

Estilo: Kate Greenaway ; as mais antigas representações conhecidas de um artista mantiveram o estilo das garotas, mas as dela são detalhadas e não suficientemente simplificadas;
Simplificação: Bertha L. Corbett (Melcher) ; linhas limpas, facilmente trabalhadas em bordados, apliques e artesanato, mas as dela eram chamadas de Bebês Sunbonnet;
Nome: "Sunbonnet Sue" canção de Will D. Cobb, música de Gus Edwards ; uma música durante a popularidade sunbonnet da época, mas apenas uma música.


Padrões:
Em 1915, na cidade de Amboy/Minessota, Alice Brown presenteou sua neta com quilt cujas aplicações eram a clássica bonequinha Sunbonnet. Apesar de serem versáteis, estando presente nas cenas do cotidiano feminino, alegres e com um ar de inocência e ingenuidade, ao chegar no período da Depressão Americana e da Segunda Guerra, elas caíram no esquecimento popular.

Muitos quilters e crafters simplesmente traçaram as ilustrações de Corbett, Greenaway e outras, para uso como padrões que, mesmo na época, não eram exatamente legais. Em meados dos anos 20, o estilo Sunbonnet Sue tornou-se ainda mais popular, e a criação de colchas e bordados Sunbonnet Sue continuou a aumentar significativamente.

Os padrões novos e tradicionais da Sunbonnet Sue continuam a ser projetados e reproduzidos, compartilhando a popularidade contínua.



SUNBONNET CONTEMPORÂNEAS 

Sarah Kay

Depois de um tempo esquecidas, as bonequinhas voltaram a aparecer com mais intensidade nos anos 1980, e acredito que foram eternizadas pelos traços mágico de Sarah Kay. Embora não se faça nenhuma citação, é nítido a influência das Sunbonnet em suas criações, onde a personagem mais popular levou seu próprio nome, Sarah Kay
Em se tratando de ilustrações, com certeza Sarah Kay, foi quem mais manteve viva e atualizou as Sunbonnet Sue. Apesar dela ter criado várias personagens com roupas atuais, sua inspirações trás vivamente a rais das Sunbonnet Sue às nossas lembranças.
Ilustradora australiana, ela colocou suas personagens em imagens que representavam bem o seu cotidiano. Suas personagens figuraram papéis de carta, cadernos, agendas, Stick, estojos, mochilas, tudo que se pode imaginar, e ainda permanecem, sendo colecionados até hoje.



Muitas deixaram de usar seus trajes tradicionais, mas os traços ainda lembram sua raiz.
Vejam que as roupas se atualizaram para a época, calças boca de sino, mini blusas, jardineiras para as campestres, mas os enormes chapéus permanecem. E isso aproximou as adolescentes da época, que se identificavam, e eram levadas à um mundo de sonhos, realmente mágico.

Um das ilustrações que mais me trazem a lembrança desta época é esta:


E esta foi reproduzida também em ponto-cruz


Sarah Kay também retratou suas personagens em atos festivos, e desta forma, estavam sempre presentes no cotidiano de que as amava.


Outras obras:
Saray Key, também desenhou a turma da Moranguinho e os menininhos da coleção Amar é... que também foram amplamente usados em tudo que foi possível.
Nota:
Sarh sempre foi muito reservada, mas inspirou a sua principal personagem (Sarah Key) em sua vida cotidiana.
Mora com os dois filhos, um cachorro e três gatos em uma casa com um bosque florido e pacato. Todas as suas ilustrações, retratam bem tudo isso.

Começou como ilustradora em uma agência publicitária, e foi quando teve a ideia de criar a sua série mais famosa de desenhos que perduram até hoje em nossos sonhos.

Essa é uma DOCE LEMBRANÇA, e quem conheceu, não esquece...

Obs.:
A relação das Sunbonnet Sue, com a obra de Sarah Key, não é citada em nenhum lugar. Esta comparação, se deve à pesquisa de trajes e impressão que as cenas em comum, me transmitiram. Sei que quilteiras e bordadeiras hão de discordar. Mas esta é a minha visão da plástica geral, a sensação que as imagens passam e suas semelhanças. Provavelmente, Sarah viveu um certa nostalgia ao criar suas personagens, e tenha se encantado com os fartos vestidos, chapéus, aventais, e botinas... quem não se encanta??

Em 2002, as Sunbonnet comemoraram o seu centenário. Na época fiz algumas postagens sobre o assunto e você pode conferir AQUI.


4 comentários

  1. Que delícia conhecer um pouco sobre os criadores desses personagens que nos trazem tão boas lembranças e que tanto estimulam nossa criatividade! Obga!

    ResponderExcluir
  2. Nossa quanta saudades dessas bonequinhas. Obrigada

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário em MEU MUNDO CRAFT.

VOLTAR AO TOPO